Início do conteúdo

05/09/2017

Pesquisador da Fiocruz recebe Prêmio Honra ao Mérito Médico Veterinário na Alerj

Lucas Rocha (IOC/Fiocruz)


Em alusão ao dia do médico veterinário, celebrado em 9 de setembro, o Conselho Regional de Medicina Veterinária do Estado do Rio de Janeiro (CRMV-RJ) reconheceu renomados profissionais por suas contribuições no desenvolvimento de atividades de ensino e pesquisa. O pesquisador Ricardo Lourenço de Oliveira, chefe do Laboratório de Mosquitos Transmissores de Hematozoários do Instituto Oswaldo Cruz (IOC/Fiocruz), foi um dos homenageados com o Prêmio Honra ao Mérito Médico Veterinário, entregue em sessão solene realizada nesta segunda-feira (4/9), no Plenário da Assembleia Legislativa do Estado do Rio Janeiro (Alerj). A honraria também foi entregue aos especialistas Carlos Luiz Massard, professor do Departamento de Parasitologia Animal da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFFRJ), e José Carlos Gomes. Já o Prêmio Médico Veterinário Educador, que destaca profissionais que desempenham atividades de ensino, foi concedido à diretora do curso de Medicina Veterinária da UFFRJ, Miliane Moreira Soares Souza.

Ricardo tem graduação em medicina veterinária pela Universidade Federal Fluminense (UFF), mestrado em biologia parasitária pelo IOC, doutorado em ciências veterinárias pela UFFRJ e pós-doutorado pelo Instituto Pasteur, na França. Hoje, Ricardo Lourenço atua à frente de um Laboratório responsável por diversas pesquisas relacionadas a arboviroses - doenças transmitidas por insetos. Os riscos de reurbanização da febre amarela, o sequenciamento do genoma completo do vírus associado ao atual surto da doença no Brasil e nova forma de infecção por um parasito causador da malária são apenas alguns dos importantes estudos em que atuou. Investigações sobre chikungunya e o potencial de transmissão do vírus zika pelo mosquito Culex também estão no repertório. “Os jovens, quando prestam vestibular para medicina veterinária, não conhecem as inúmeras possibilidades da profissão. Essa amplitude permitiu que eu me especializasse em doenças zoonóticas, tema de muita importância para a saúde pública”, ressaltou Ricardo, que tem mais de 150 artigos científicos publicados em sua carreira.

Leia mais no site do IOC/Fiocruz

 

Voltar ao topo Voltar